Pressão plantar e sua relação com índices antropométricos em trabalhadoras

Pressão plantar e sua relação com índices antropométricos em trabalhadoras

Resumo
INTRODUÇÃO: A posição ortostática no trabalho em conjunto com o índice de massa corporal (IMC) gera sobrecarga e pode alterar a descarga de peso.
OBJETIVOS: Analisar o pico de pressão plantar e sua relação com IMC, estatura e peso corporal em trabalhadoras que utilizavam a postura ortostática como predominante no trabalho.
MÉTODOS: Estudo com 50 trabalhadoras, média de idade de 29.9 ± 6.6 anos, que foram analisadas quanto ao seu IMC, estatura, peso e pico de pressão plantar em ambos os pés. Para isso, utilizou-se um baropodômetro FootWork para a coleta dos maiores valores de pressão plantar em quilograma-força/centímetro2. Os dados foram analisados por meio de correlação linear de Pearson e Spearman e teste t de Student pareado, com nível de significância de 5%.
RESULTADOS: A maioria das mulheres apresentou-se na classe normal, com peso corporal médio de 60.1 ± 7.9 e estatura de 163.8 ± 5.9. Entretanto, houve maiores índices numéricos de pressão plantar nos indivíduos com sobrepeso e obeso (2.3 ± 0.4 e 3.2 ± 1.1), observando relação estatística. Verificou-se também associação entre estatura e pico de pressão plantar maior à direita (p < 0.0). Para os valores de descarga de peso para ambos os pés, segundo classe de índice de massa corpórea, os resultados foram maiores para acima do normal.
CONCLUSÃO: O pico de pressão plantar foi maior nas trabalhadoras com peso corporal acima do normal e mais altas, o que pode apresentar fator de risco para agravos músculos-esqueléticos.

Pressão plantar e sua relacao com indices antropometricos em trabalhadoras    220220131123541.pdf

Atendimento

  • (11) 3256-7047 / 3783-5234
  • (11) 97175-2663
  • This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
  • Rua Andrea Palladio, 94 - São Paulo - SP

Atendimento

Menu